149121642-WU-web_banner-320x476-BR-PT
149121642-WU-web_banner-1200x346-BR-PT
149121642-WU-web_banner-768x411-BR-PT

Tipos de fraude


Os golpistas ganham a sua confiança e, em seguida, roubam seu dinheiro.

Eles usam todos os meios possíveis para entrar em contato com as vítimas: telefone, correio, e-mail e internet. Ganham sua confiança e, quando tem a sua atenção, pedem dinheiro. Depois, fogem com o dinheiro. Os cenários que eles usam para atrair as pessoas mudam constantemente. Entretanto, você pode proteger a si mesmo e a seus amigos e familiares conhecendo os tipos mais comuns de fraude.



Taxas antecipadas/Pré-pagamento:
  Você é solicitado a enviar dinheiro para pagar uma taxa antecipada de um produto ou serviço.

 

Cliente oculto:  Você é contatado para uma oportunidade de emprego e deve enviar um dinheiro e avaliar o serviço.

 

Pagamento excessivo:  Você recebe um cheque de valor mais alto do que o preço acordado e solicitam que envie o valor excedido por transferência mas o cheque é falso.

 

Emprego:  Você é solicitado a enviar dinheiro para uma oportunidade de emprego que aceitou.

 

Loteria/prêmio:  Você recebe uma notificação de que ganhou na loteria/em um sorteio e precisa enviar dinheiro para receber o prêmio.

 

Propriedade de aluguel:  Você está interessado em uma propriedade de aluguel e é solicitado a enviar dinheiro por razões que parecem legítimas, mas a propriedade não é real.

 

Emergência/Avós: Você é solicitado a enviar dinheiro a um amigo ou familiar para uma situação de emergência.

 

Compra pela Internet:  Você é solicitado a enviar dinheiro para pagar por um produto, item de leilão ou serviço anunciado on-line.

 

Relacionamento:  Você conhece alguém on-line, desenvolve um relacionamento com a pessoa, e ela pede que você envie dinheiro a ela.

 

Cheque falso:  Você recebe um cheque e é solicitado a enviar uma parte do dinheiro de volta por uma razão que parece legítima, mas o cheque é falso.
 


 

Tipos de golpes


Taxas adiantadas/pré-pagamento
                                                                                        ^ para o topo

 

    Os golpistas se colocam como representantes de empresas falsas de empréstimo e usam documentos, e-mails e sites que parecem autênticos para tentar se legitimar. Eles cobram "taxas" antes de fazer empréstimos. Os clientes pagam, mas os empréstimos nunca são realizados. Os golpistas desaparecem e, muitas vezes, trocam regularmente o nome de suas "empresas" para evitar as autoridades policiais. 

    Essa é uma variação de um golpe chamado "taxa de adiantamento" ou "pré-pagamento". Os golpistas também podem atrair as vítimas com promessas de investimentos ou presentes de heranças em troca de uma taxa. No fim, tudo se resume ao mesmo processo: As vítimas pagam o dinheiro para alguém na expectativa de receber algo de maior valor e, em seguida, recebem pouco ou nada em troca.

    Veja também os golpes do cheque falso.


Cliente oculto                                                                                                     ^ para o topo

 

    Os golpes de cliente oculto são populares entre os criminosos que têm como alvo sites de emprego. O truque é simples: Eles enviam às vítimas um cheque e dizem a elas que devem usar os fundos para "avaliar" o serviço de transferência de dinheiro da Western Union. As vítimas enviam o dinheiro apenas para descobrir mais tarde que os cheques não têm fundos, e elas são responsáveis por pagar o banco.

    Veja também o golpe do cheque falso e o golpe do emprego.


Pagamento excessivo                                                                                                            ^ para o topo

 

    Com golpes de pagamento excessivo, os golpistas desempenham o papel de compradores e buscam consumidores que vendem um serviço ou produto. O "comprador" envia ao vendedor um cheque de aparência legítima, geralmente emitido por um banco bem conhecido, com um valor superior ao preço acordado. Eles entram em contato com uma explicação para esse pagamento excessivo e instruem o vendedor a depositar o cheque e enviar de volta o excesso de fundos. Semanas mais tarde, a vítima descobre que o cheque é falso, mas ainda deve pagar ao banco o dinheiro retirado.

    Veja também os golpes de compra pela Internet e cheque falso.


Emprego                                                                                                              ^ para o topo

 

    Os golpes de emprego geralmente começam com uma oferta boa demais para ser verdade, como trabalhar em casa e ganhar milhares de dólares por mês sem precisar de experiência, e terminam com os consumidores sem "trabalho" e sem dinheiro. Eles geralmente seguem um destes três padrões:

    1. Os golpistas fingem ser um novo "empregador" e enviam às vítimas um cheque para cobrir as primeiras despesas, como suprimentos. As vítimas depositam o cheque, compram os suprimentos necessários e enviam os fundos restantes de volta ao golpista. Semanas mais tarde, elas descobrem que os cheques são falsos e que pagarão o valor total.

    2. Os golpistas agem como "recrutadores" oferecendo empregos garantidos ou como "empregadores" oferecendo trabalho com a condição de que as vítimas paguem adiantado para coisas como verificações de crédito ou taxas de inscrição e recrutamento. As vítimas pagam, mas as ofertas de trabalho nunca se materializam.

    3. Os golpistas agem como representantes de uma "empresa" e buscam informações pessoais e/ou financeiras confidenciais das vítimas sob o pretexto de fazer verificações de crédito ou de antecedentes criminais. Assim, eles escolhem vítimas para roubo de identidade.

    Veja também os golpes do cliente oculto e do cheque falso.


Loteria/prêmio                                                                                                           ^ para o topo

 

    Os golpes de loteria ou prêmio seguem dois padrões semelhantes:

    1. A vítima recebe um telefonema, e-mail, carta ou fax não solicitado de alguém dizendo trabalhar para uma agência governamental ou representar uma organização ou uma celebridade bem conhecida, notificando a vítima de que ela já ganhou muito dinheiro ou um prêmio. O golpista ganha a confiança da vítima e explica que, a fim de recolher os ganhos, ela primeiro tem de enviar uma pequena soma de dinheiro para pagar taxas de processamento ou impostos. Seguindo essas instruções, as vítimas imediatamente enviam o dinheiro, mas nunca recebem seus "ganhos".Além de perderem o dinheiro pago para "tarifas e taxas"."

    2. As vítimas recebem um cheque ou dinheiro inesperado e orientações para depositá-lo e, imediatamente, enviar uma parte de volta para cobrir taxas de processamento ou impostos. Semanas depois, as vítimas descobrem que os cheques são falsos, mas já enviaram o dinheiro para cobrir os "impostos" e não podem recuperá-lo. Além de precisar pagar ao banco o dinheiro retirado.

    Veja também os golpes de taxas adiantadas/pré-pagamento e cheque falso.


Propriedade de aluguel                                                                                                         ^ para o topo

 

    Os golpistas mais sofisticados usam a Internet e, especialmente, sites de classificados gratuitos para procurar vítimas de imóveis desavisadas. Os golpes de propriedades de aluguel geralmente acontecem de uma destas duas maneiras:

    1. Os locatários estão procurando uma casa ou um apartamento para alugar e são enganados por um "proprietário". As vítimas se deparam com um lugar em uma ótima área e a um preço excelente. O anúncio parece legítimo, então eles começam a se comunicar com o "proprietário", geralmente por e-mail. O proprietário diz que o lugar é deles, se eles enviarem dinheiro para cobrir uma taxa de inscrição, um depósito de segurança etc. Eles enviam o dinheiro e, depois, nunca mais conseguem falar com o "proprietário".

    2. Os proprietários estão alugando sua casa ou seu apartamento e são enganados por um “locatário".Ele entra em contato com as vítimas, geralmente por e-mail, e manifesta interesse em alugar a casa ou o apartamento. Os golpistas enviam um cheque para o depósito, mas, em seguida, cancelam o negócio. As vítimas enviam o dinheiro de volta, mas, depois, descobrem que o cheque era falso.

    Veja também os golpes de compra pela Internet e cheque falso.


Emergência/avós                                                                                         ^ para o topo

 

    Os golpes de emergências usam as emoções e o forte desejo das pessoas de ajudar os necessitados. Os golpistas se fazem passar por suas vítimas, inventam uma situação urgente – eu fui preso, eu fui assaltado, eu estou no hospital – e entram em contato com amigos e familiares fazendo apelos urgentes de ajuda e dinheiro.

    Existem golpes de emergência de todos os tipos. Há o golpe dos avós, no qual os vigaristas entram em contato com o idoso dizendo ser seu neto e pedindo dinheiro com urgência. Também há o golpe de redes sociais, no qual os vigaristas invadem as contas de redes sociais e, em seguida, entram em contato com os amigos da vítima pedindo desesperadamente por dinheiro com alegações de lesão, prisão etc. Eles fazem o mesmo hackeando contas de e-mail. Eles usam as informações nessas contas para fornecer detalhes pessoais suficientes para que seus pedidos pareçam legítimos.


Compra pela Internet                                                                                                     ^ para o topo

 

    No golpe da compra pela Internet, os criminosos atacam vítimas que fazem lances em itens usando um site ou serviço de leilões on-line. Normalmente, ele acontece de uma destas duas maneiras:

    1. As vítimas ganham o leilão, que é provavelmente uma farsa, e são informadas que o vendedor só aceita transferências de dinheiro para o pagamento. O vendedor diz ao comprador para fazer a transação com um nome fictício ou o nome de um ente querido. Os golpistas convencem as vítimas que isso protege seu dinheiro até que os bens ou serviços sejam recebidos. O vendedor, então, cria uma falsa identificação com o nome fictício e retira os fundos. A mercadoria nunca chega.

    2. A outra variação é quando o leilão original era legítimo, mas as vítimas não são as ganhadoras. Elas são contatadas mais tarde por outra pessoa oferecendo o mesmo item em termos similares e instruídas a enviar o dinheiro como pagamento. O dinheiro é enviado, mas o comprador não recebe a mercadoria.

    Veja também os golpes do pagamento excessivo, da propriedade de aluguel e do cheque falso.


Relacionamento                                                                                                             ^ para o topo

 

    O golpe de relacionamento começa simples: Um homem e uma mulher se conhecem pela Internet. O relacionamento progride: Eles enviam e-mails, falam ao telefone e trocam fotos. Por fim, fazem planos para se encontrar e, até mesmo, se casar. À medida que o relacionamento fica mais forte, as coisas começam a mudar. O homem pede que a mulher envie dinheiro a ele, pois precisa comprar uma passagem de ônibus para visitar um tio doente. A primeira transferência bancária é pequena, mas os pedidos continuam chegando e aumentando: a filha dele precisa de uma cirurgia de emergência, ele precisa da passagem aérea para visitar etc. As promessas de devolver o dinheiro são vazias. O dinheiro desaparece e ele também.


Cheque falso                                                                                                                ^ para o topo

 

    Os cheques falsos são os protagonistas de muitos golpes diferentes: golpes de taxa adiantada ou pré-pagamento, de cliente oculto, de prêmio de loteria e muitos outros. As vítimas recebem um cheque ou dinheiro inesperado com orientações para depositar o dinheiro e imediatamente enviar uma parte de volta para cobrir as despesas, como taxas de processamento ou impostos. Semanas depois, as vítimas descobrem que os cheques são falsificados, mas elas já enviaram o dinheiro e não podem recuperá-lo. Além de precisar pagar ao banco o dinheiro retirado.

    Veja também os golpes da taxa adiantada/pré-pagamento, de cliente oculto, de emprego, de pagamento excessivo, de compra pela Internet, de loteria/prêmio, de propriedade de aluguel.